"Acabe com as desigualdades. Acabe com a SIDA” é o lema deste ano para celebrar o Dia Mundial de luta contra a SIDA.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o vírus da imunodeficiência humana (VIH) continua sendo um grande problema de saúde pública, afetando milhões de pessoas em todo o mundo. Embora o mundo tenha feito progressos significativos nas últimas décadas, importantes metas globais para 2020 não foram cumpridas.

Fatores como divisão, disparidade e desrespeito pelos direitos humanos estão entre as falhas que permitiram que a SIDA se tornasse e continuasse a ser uma crise de saúde global. Agora, com a COVID-19 a intensificar as desigualdades e interrupções nos serviços e cuidados de saúde, a vida de muitas pessoas que vivem com VIH se tornou ainda mais desafiadora.

O tema do Dia Mundial de luta contra a SIDA de 2021 tem um foco especial em alcançar as pessoas que ficaram para trás. Assim, a OMS e seus parceiros destacam as crescentes desigualdades no acesso a serviços essenciais. 

A OMS convida a todos os líderes globais, assim como os cidadãos, a se unirem com o objetivo de enfrentar as desigualdades que impulsionam a SIDA e alcançar as pessoas que atualmente não estão recebendo os serviços essenciais de tratamento.

Recorde-se que o VIH tem como alvo o sistema imunológico e enfraquece os sistemas de defesa das pessoas contra infeções e alguns tipos de cancro. Pode ser transmitido por meio de relação sexual desprotegida (anal ou vaginal), transfusão de sangue contaminado, compartilhamento de agulhas contaminadas, bem como entre mãe e filho durante a gravidez, parto e amamentação, se a mãe não estiver em tratamento. Não há cura para a infeção pelo VIH, no entanto, medicamentos antirretrovirais (ARV) eficazes podem controlar o vírus e ajudar a prevenir a transmissão para que as pessoas com VIH e aquelas em risco substancial possam ter uma vida saudável, longa e produtiva.

Cuide-se, proteja-se a si e à sua família!

Siga-nos